Qual é o tempo de espera para cirurgias da Escoliose no Brasil?

Qual é o tempo de espera para cirurgias da Escoliose no Brasil?

Mesmo indo além do escopo deste site, decidimos divulgar os resultados desta pesquisa pela importância da publicação e relação direta com o tratamento fisioterapêutico ou não cirúrgico da escoliose idiopática do adolescente. Adotado por muitos pacientes após o tratamento fisioterapêutico mal sucedido, e que por vezes, se questionam sobre seu tratamento cirúrgico da escoliose.

No estudo de coorte transversal descritivo de Lima Júnior et al, publicado na Revista Coluna/Columna em 2011, com objetivo de descrever os parâmetros clínicos e radiográficos dos pacientes portadores de escoliose idiopática do adolescente (EIA), que estão na lista de espera para tratamento cirúrgico eletivo em hospital universitário terciário de alta complexidade do Sistema Público de Saúde Brasileiro (SUS).

Nos resultados, dos 51 pacientes, 42 eram do sexo feminino e 9 do sexo masculino, com idade média de 15,53 anos (10-46 anos). Todos os pacientes apresentavam idade entre 10 e 17 anos no momento do diagnóstico. Em média o tempo de espera, foi de 25,41 meses (variando de 2 a 180 meses). A idade média no momento da menarca foi 12,13 anos (11-14 anos), 10 pacientes não apresentavam menarca, e 23 pacientes esqueleticamente imaturas (Risser zero a três). O valor médio da curva principal foi 60,4 graus (variando de 40 a 120 graus). Os tipos de curva mais frequentes foram o tipo King III (Escoliose torácica com curva lombar não atravessando a linha mediana. A curva lombar é muito flexível nas radiografias em flexão lateral. Ao exame clínico a giba costal é muito evidente, e a proeminência lombar é pequena ou inexistente.) No entanto, a conclusão dos autores foi que, em função da morbidade definida na literatura nos portadores de EIA não tratados e do tamanho da amostra, justifica-se medidas em termos de política pública para o tratamento destes pacientes no nosso meio.

OBS: Destaco que esta informação tem caráter informativo e não deve servir para subsidiar qualquer alteração em tratamento previamente prescrito por profissional especializados no tratamento da escoliose legalmente habilitado. Vale ressaltar que, o SONSORT (Reunião científica dos maiores pesquisadores de Escoliose do mundo) em 2015, afirma que existe indicação cirúrgica para curvaturas maiores de 45-50 graus, no entanto esta indicação acontece após a decisão em conjunta da equipe multidisciplinar (médico ortopedista, fisiatra, pediatra, fisioterapeuta), dependendo da idade (Risser) e progressão da curva (o quanto ainda ela poderá progredir), mobilidade, deformidades, comprometimento respiratório, entre outros.

Referência:

Lima Júnior et al, ESCOLIOSE IDIOPÁTICA DO ADOLESCENTE (EIA): PERFIL CLÍNICO E RADIOGRÁFICO DA LISTA DE ESPERA PARA TRATAMENTO CIRÚRGICO EM HOSPITAL TERCIÁRIO DE ALTA COMPLEXIDADE DO SISTEMA PÚBLICO DE SAÚDE BRASILEIRO. Coluna/Columna. 2011; 10(2): 111-5.

Comente!