Os coletes ortopédicos machucam, existem outras opções?

De acordo com o SOSORT International Conference on Scoliosis 2015 (Consenso anual sobre as maiores evidências científicas no tratamento da Escoliose), diz que:

Curvaturas escolióticas de 25 a 45 graus de Cobb: O uso dos coletes ortopédicos durante é indicado durante a fase de crescimento de crianças e adolescentes, para prevenir a progressão da curvatura, enquanto o crescimento da coluna vertebral. Em conjunto com o colete ortopédico é indicado o Tratamento Científico da Escoliose pelo Método SEAS ou Método Schroth é de fundamental importância para a preparação e para orientações para o uso do colete ortopédico.

Basicamente os ortopedistas e os ortesistas no Brasil indicam dois tipos de coletes ortopédicos no tratamento da escoliose idiopática do adolescente, são eles Colete Milwaukee e o Colete Boston. Estes coletes ortopédicos são rígidos, machucam os adolescentes, existe outra opção mais flexíveis?

Existem basicamente dois coletes chamados de coletes dinâmicos ou flexíveis, são eles:

Colete Dynamic Derotating (DDB)

captura-de-tela-2016-09-24-as-19-43-48

Este é um colete do tipo Órtese tóraco-lombo-sacra (TLSO), foi desenvolvido em  Atenas na Grécia,  em 1980. Este colete ortopédico é dinâmico pode existirem dispositivos rotatórios que atuam como molas.

Em estudo de Grivas e Vasiliadis (2008), foi observado em seus resultados uma correção global do ângulo de Cobb de 49,54%. E na reavaliação (Follow-up) após 2 anos, uma correção de 44,10%. Por tanto, 35,70% de curvas melhoraram, 46,42% estabilizaram suas curvas e 7,83% aumentaram.

Colete SpineCor

  captura-de-tela-2016-09-24-as-19-43-54

Desenvolvido com o financiamento do governo Canadense com mais de 70 pesquisadores e um investimento de mais de 10 milhões de dólares canadenses. Os pesquisadores responsáveis são Christine Colliard e Charles Rivard do Hospital St. Justine, em Montreal no Canadá, em 1993.

O SpineCor é um órtese distintamente original, não-rígida que se baseia em movimento paciente para ativar efeitos de correção.

Sua eficácia para curvas maiores tem sido muito discutida. Nos estudos de Coillard, Circo e Rivard (2009), pode-se observar que em 64% estabilizou ou melhorou sua curvatura escolástica e 18% dos pacientes necessitaram de cirurgia.

Com base nas informações dos estudos acima, os coletes ortopédicos dinâmicos apresentam resultados na maioria das vezes positivos, apesar do SpineCor ainda ser muito discutido principalmente pela sua ação noturna. Vale ressaltar que estes coletes não existem no Brasil e os utilizados no Brasil (Coletes de Milwaukee e Colete de Boston) para o tratamento da Escoliose idiopática do adolescente tem uma alta chance de piora e consequentemente, maior chances deste paciente ser submetido ao  tratamento cirúrgico (de 22% a 49% de chances) que muitas vezes não é a melhor saída (ver artigo sobre cirurgia), desta maneira como especialista no tratamento da escoliose, sugiro um colete mais moderno, ativo e que faça correções de forma tri-dimensional (ver artigo).

Além disso, é imprescindível um Tratamento Científico da Escoliose que tem mostrado evidências científicas na melhora da curvatura. Como neste estudo realizado em 2008, concebido para confirmar se o indicação para o tratamento com exercícios específicos para Escoliose Idiopática do Adolescente se alterou nos últimos anos, descobriram que, com apenas uma única exceção, todos os estudos confirmaram a eficácia dos exercícios na redução da taxa de progressão (principalmente na puberdade precoce) e/ou a melhorar a curvatura da escoliose pelo Cobb ângulo.

Leve em consideração a importância de receber um tratamento individual específico com base nas mais fortes evidências científicas, evitando o uso dos coletes ortopédicos e de possíveis cirurgias.

Agora que você entende a importância de não só fazer exercícios, mas também trabalhar de forma científica e específica com técnicas internacionais  para alcançar os seus resultados, não perca tempo.

Dúvidas? Fale comigo! Vou esclarecer tudo para você.

Comente!