Fisioterapia não funciona?

Fisioterapia não funciona?

‘Choquinho’ de realidade – a eficiência que engana

Eletroterapia

 Você já ouviu esta frase antes: “Fisioterapia não funciona?”. Vamos esclarecer…

Você precisa de fisioterapia, ok. Seu plano de saúde indica uma clínica, e lá você recebe uma ficha com cerca de 10 sessões, ok também. Quando você chega no grande dia, que iniciará o seu tratamento, entra em uma sala com mais 10 pessoas, todas deitadas em uma cama individual recebendo “choquinhos”, o famoso recurso da eletroterapia. Vez ou outra, durante suas sessões, você faz alguns movimentos singelos.

Será que isso realmente vale o seu esforço em estar presente para o seu tratamento? Mais ainda, será que vai realmente resolver o seu problema?

Na verdade, não.

Esse cenário é muito comum para quem utiliza o plano de saúde para fazer tratamentos com a fisioterapia. Uma coisa é importante ressaltar: eu não estou dizendo que esses métodos não são eficientes, muito pelo contrário. São técnicas eficazes. Mas não para todos os casos, e muito menos trazem resultados quando trabalhadas sozinhas.

O que eu quero alertar neste artigo é que a fisioterapia vai muito além disso. Quando você sofre uma lesão, precisa tratar uma dor ou necessita da fisioterapia para qualquer outra circunstância, é fundamental que você receba um atendimento individual, e que trabalhe o seu caso específico.

Ser colocado em uma sala, e receber o mesmo tipo de tratamento que outras 10 pessoas, que têm necessidades completamente diferentes, fará você perder tempo, dinheiro e, claro, não ter o seu problema resolvido. Você merece todo o cuidado e atenção, e um acompanhamento verdadeiramente de perto, para alcançar os melhores resultados.

Movimentar-se é fundamental

Os exercícios na fisioterapia são cruciais para prevenção, tanto de fortalecimento quanto os alongamentos, tratamento/intervenção, habilitação e reabilitação da saúde física. A fisioterapia tem com o objetivo principal identificar e maximizar a qualidade de vida e potencial de movimento de cada pessoa, dentro das áreas trabalhadas. O pilates, por exemplo, são exercícios que enfatizam o desenvolvimento equilibrado do corpo por meio de núcleos força, flexibilidade e consciência. É muito indicado para:

  • Lombalgia
  • Dores nas costas em geral
  • Hérnias de disco
  • Cervicalgia
  • Patologias articulares (artroses, artrites, artrite reumatoide)
  • Pré e pós cirúrgicos (joelho, quadril, etc.)
  • Equilíbrio do idoso
  • Gestantes

Leve em consideração a importância de receber um tratamento individual na fisioterapia, que trabalhe de maneira adequada seus movimentos para atender a sua necessidade específica.

Agora que você entende a importância de não só receber “choquinhos”, mas também trabalhar movimentos e técnicas adequadas para alcançar os seus resultados, não perca tempo.

Dúvidas? Fale comigo! Vou esclarecer tudo para você.

 

Comente!