Exercícios científicos na abordagem da Escoliose – SEAS

Este trabalho promove uma abordagem inovadora baseada em evidências científicas no tratamento da reabilitação não-cirurgica das doenças da coluna vertebral, das crianças até os idosos.

O Prof. Ms. Rodrigo Andrade, é docente do Curso de Fisioterapia da PUC-SP, o seu doutorado na USP é um estudo clínico randomizado comparando dois métodos no tratamento da Escoliose Idiopática do Adolescente.

Prof. Ms. Rodrigo Andrade e Prof. Michelle ROMANO – Formação Método SEAS – Milão – Itália

tratamento da escoliose

Prof. Rodrigo Andrade e o Prof. Dr S Y Ng – Formação Método SCHROTH – Hong Kong.

O Prof. Ms. Rodrigo Andrade é ÚNICO fisioterapeuta na América Latina com AMBAS FORMAÇÕES – MÉTODO SCHROTH (Scoliologic Schroth Best Practice by Dr Weiss – Hong Kong) e MASTER ISICO ABORDAGEM SEAS – Exercícios Científicos no Tratamento da Escoliose (Istituto Scientifico Italiano Colonna Vertebrale – Milão-Itália).

Na foto 1, Formação MASTER ISICO ABORDAGEM SEAS com Michele Romano (Direitor técnico da ISICO), fisioterapeuta/pesquisador referência no tratamento da escoliose no mundo – Itália. Na foto 2, Prof. Rodrigo Andrade e o Prof. Dr S Y Ng – FORMAÇÃO MÉTODO SCHROTH – Hong Kong.

SEAS é uma sigla para “Scientific Exercises Approach to Scoliosis” / “Exercícios Científicos de Abordagem para Escoliose”. Tendo como objetivos terapêuticos, a fim de prevenir e reduzi-los no tratamento de escoliose de baixo grau e formas progressivas.

Após a sigla criada, existe um número para indicar o protocolo de exercícios, a versão e o ano em que foram introduzidas as alterações substanciais do método, a versão mais atual é a “06”, como estamos acostumados a ver em produtos de software. A SEAS originou-se há aproximadamente 30 anos, durante este período tem sido continuamente atualizada graças ao conhecimento e evidência científica do ISICO (Istituto Scientifico Italiano Colonna Vertebrale / Instituto Científico Italiano da Coluna Vertebral- Milão).

É importante compreender que, nos exercícios para escoliose evolutiva de modo algum substituir os uso do colete ortopédico, mas em associação a órtese pode ajudá-lo a evitar os efeitos nocivos do colete, para aumentar a sua eficácia e para manter a coluna estável durante e após a remoção, também podendo evitar uma possível cirurgia.

Tratamento científico da escoliose - Seas

Tratamento da escoliose por meio do Biofeedback – Seas

 

Inicialmente, é realizada uma avaliação detalhada do paciente, da sua radiografia, são realizados diversos testes clínicos e da postura corporal, para identificar as limitações de cada paciente, e somente desta maneira, são determinados, quais serão os exercícios científicos realizados para o tratamento de cada paciente. O tratamento é individualizado, de acordo com a idade (risser), progressão da escoliose, grau da escoliose e seus testes clínicos.

O Prof. Ms. Rodrigo Andrade, faz parte de um seleto grupo de pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), onde pesquisaram em seus estudos a “Prevalência da Escoliose Idiopática do Adolescente em cidades do interior do estado de São Paulo”, a equipe avaliou mais de 2400 estudantes da rede pública do estado de São Paulo.

Os exercícios baseiam-se em uma forma ativa de auto-correção: isso significa que o paciente tem de atingir o máximo de correção que pode adquirir no momento da sua patologia em todos os três planos de deformação, enquanto as mesmas exercícios mudar regularmente e estão adaptados de acordo com as necessidades individuais.

A SEAS pode ser realizado de duas maneiras, dependendo do estágio do tratamento, da idade (se for adolescente, em fase de crescimento), tamanho da curvatura escoliótica e possibilidade de progressão.

– Pacientes de Campinas, Mogi Mirim e região:

Acompanhamento intensivo, as sessões são semanais na clínica, juntamente com exercícios diários em casa, prescrito e continuamente modificado pelo fisioterapeuta com formação Master ISICO.

– Pacientes que moram distantes de Campinas e região:

Requer sessões de aprendizagem, inicialmente é realizada uma avaliação detalhada das radiografias, para verificar a angulação da escoliose por meio do ângulo de Cobb, e da progressão da escoliose por meio do índice de Risser, medidas antropométricas e testes clínicos. Após a detalhada avaliação são realizados os primeiros exercícios da técnica, nestas sessões de aprendizagem, são realizadas fotos e vídeos que são entregues para os paciente para o acompanhamento do seu caso. Esta primeira sessão tem a duração de 2 horas e meia a 3 horas.

Aconselhamos mais uma sessão ou no dia seguinte (duração de 1h30) ou na mesma semana, para os pacientes que vêm de cidades distantes, para que o aprendizado seja ainda mais eficiente. Após estas sessões, os pacientes recebem uma cartilha de exercícios e filmagens, desta maneira poderão realizar o tratamento em centros de reabilitação (fisioterapeutas de suas cidades) ou fazer os exercícios de forma independente em casa. Dependendo do estágio do tratamento, indicamos o retorno das sessões presenciais de forma mensal, bimestral ou trimestral.

O Prof. Ms.Rodrigo Andrade, atende pessoas de vários estados do Brasil e de fora do Brasil (Estados Unidos).

Esta forma de trabalho é realizada nos centros especializados espalhados por todo o mundo, desta maneira poderemos a abordagem SEAS poderá ajudar, melhorando e/ou prevenindo o desenvolvimento da escoliose.

A abordagem SEAS, oferece a oportunidade de aprender uma metodologia a ser aplicada em casa, sem ter que ir toda vez que o centro de referência para tratamento. Isto reduz significativamente os custos, combinando a qualidade (aprendizagem na nossa clínica) e o conforto (exercícios em casa).

As Evidências Científicas do Protocolo no Tratamento SEAS da Escoliose

Com base nos resultados pesquisadores ISICO – Milão, foi comprovado a eficácia do uso do protocolo de exercícios em comparação com pacientes que seguiram outros tratamentos (os resultados foram publicados na literatura científica internacional).

Evidência científica tem mostrado que os exercícios são capazes de reduzir a utilização dos coletes ortopédicos e no caso de pacientes com dos coletes ortopédicos, assegurar a manutenção da correção alcançada.

Em estudo realizado em 2008, concebido para confirmar se o indicação para o tratamento com exercícios específicos para Escoliose Idiopática do Adolescente se alterou nos últimos anos, descobriram que, com apenas uma única exceção, todos os estudos confirmaram a eficácia dos exercícios na redução da taxa de progressão (Principalmente na puberdade precoce) e/ou a melhorar a Cobb ângulo (em torno da extremidade do crescimento).

Um Estudo Clínico Randomizado (mencionada no exemplo acima revisão de 2008) apresentaram melhora de curvatura em todos os pacientes tratados após seis meses; a exercícios também mostraram ser eficazes na redução da necessidade de prescrição de coletes ortopédicos e cirurgias. Outro estudo, a partir de 2008 se propôs a comparar o efeito de exercícios SEAS com programas de reabilitação “cuidados habituais” e confirmada a eficácia de exercícios em pacientes com escoliose, que está em um alto risco de progressão e que em comparação com exercícios não adaptados, um tratamento específico e personalizado (SEAS) pareceu ser mais eficaz.

Outros estudos, corroboraram com a abordagem SEAS ao tratamento exercício escoliose concluindo que os exercícios SEAS e as órteses podem reduzir e, no caso de pacientes que se utilizam dos coletes ortopédicos, eles garantem a manutenção da correção obtida.

Além disso, SEAS tem uma forte base de neurofisiológica moderna, para reduzir as alteraçoes dos pacientes e possivelmente, os custos para as famílias ligadas à frequência e intensidade dos tratamentos e avaliações.

Portanto, SEAS permite o tratamento de um grande número de pacientes vindo de longe. Além disso, exercícios pode ajudar a reduzir a perda de correção e ajudar no desmame do uso dos coletes ortopédicos nos pacientes com escoliose idiopática do adolescente.

Na edição do SOSORT 2008, um trabalho da ISICO (escola na qual me formei) ganhou o Prêmio de Pesquisa Clínica SOSORT 2008, prêmio mais importante do mundo na área de tratamento conservador da escoliose.

Nesta última edição do SOSORT 2015, houve uma constatação por meio de uma saudável discussão que a Fisioterapia não trata Escoliose, e sim Exercícios Fisioterapêuticos Específicos para Escoliose.

 

Mudança da postura após 1 mês e 4 meses de tratamento do SEAS

Escoliose Mariana antes e depois

Resultado de 4 meses de tratamento semanal (intensivo), de uma paciente adulta, 24 anos, com o método S.E.A.S. – Scientific Exercises Approach to Scoliosis” / “Exercícios Científicos de Abordagem para Escoliose”. A Escoliose melhorou de 34 graus para 30 graus do Cobb.

Este caso clínico será apresentado no Congresso World Confederation For Physical Therapy (WCPT) – Buenos Aires em junho 2016.

RX - Escoliose SEAS

Resultado de 4 meses de tratamento em adolescente de 15 anos, sendo 2 sessões no consultório, e  duas séries de exercícios em casa diariamente, com o método S.E.A.S. A escoliose melhorou de: Cobb torácica 30 graus e lombar 40 graus, para: Cobb torácica 31 graus e lombar 34 graus.

Indicações de todas as doenças da coluna vertebral:

  • Escoliose
  • Cifose e outras alterações posturais
  • A lombalgia (dor nas costas)
  • Cervicalgia (dor no pescoço)
  • Osteoporose

Veja a Participação no Programa Bem Estar (Rede Globo de Televisão) e no Programa Tudo Posso ( Rede Família de TV – Grupo Record com o Tema Escoliose:

Participação no Programa Tudo Posso ( Rede Família de TV - Grupo Record com o Tema Escoliose

Participação no Programa Tudo Posso ( Rede Família de TV – Grupo Record com o Tema Escoliose

Participação no Programa Bem Estar (Rede Globo de Televisão)

 

 

Veja a Participação (aula ao vivo) na Câmara dos Vereadores / TV Câmara – A Importância de uma Intervenção de Saúde Pública na Escoliose: